Na Expo Umuarama, estudantes de Medicina conscientizam sobre doação de órgãos

Supervisionados por professores, eles enaltecem a importância dessa atitude que salva vidas

Nem só de assuntos técnicos se faz uma exposição agropecuária do porte da Expo Umuarama. Durante os dias de realização da feira, muitas entidades de classe, escolas, clubes de serviço aproveitam a megaestrutura, que recebe milhares de pessoas, para desenvolver ações de conscientização.

É o caso da equipe da Liga de Hepatologia, Doação e Transplantes de Órgãos, do curso de Medicina da Universidade Paranaense – Unipar. Estudantes, acompanhados pela professora Mariana Vitória Gasperin, estão todos os dias distribuindo panfleto informativo e conversando com os visitantes sobre a importância da doação de órgãos.

“Doar órgãos é um ato de generosidade que salva vidas. Todos os dias, pessoas enfrentam a luta pela vida enquanto aguardam por um transplante que pode vir a ser a diferença entre a vida e a morte, explicam nas abordagens. Eles também enfatizam que “a decisão de doar órgãos é um ato de amor ao próximo e uma contribuição inestimável à sociedade”

“Nosso objetivo é convencer as pessoas, encorajá-las para que se considerem doadores e que conversem com as famílias sobre o assunto, porque no Brasil a lista dos que esperam por órgão é grande, muito maior do que a lista de doadores”, explica a professora, que é gastrocirurgiã, especialista em transplante de fígado.

O trabalho dos futuros médicos é elogiável, afinal eles se baseiam em pesquisas para justificar a necessidade dessas ações de orientação que costumam fazer, com frequência, na comunidade. Segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, a taxa de recusa da família em fazer a doação é em torno de 43% no Brasil, enquanto a média mundial é de 25%.

Compartilhar :

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Rolar para cima