Jardim Sensorial é a novidade da Fazendinha, um dos destaques da Expo

Seguindo a tradição, a 45ª Expo Umuarama/18ª Internacional conta com um espaço especial dedicado às crianças: a Fazendinha. A atração, que acaba encantando visitantes de todas as faixas etárias, apresenta uma novidade: o Jardim Sensorial.

O espaço, idealizado pela professora Lucimar Bonett, do curso de Agronomia da Universidade Paranaense (Unipar), foi criado para que os visitantes possam explorar os cinco sentidos por meio das plantas, além de ensinar sobre natureza. São dezenas de espécies, divididas pelos sentidos que aguçam. 

Na Fazendinha, as crianças têm contato direto com animais de pequeno porte e diversos outros atrativos, apresentados pelos parceiros da Sociedade Rural: Universidade Paranaense (Unipar), Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab), por meio da Emater.

Fazendinha em detalhes

Os cursos de engenharia agronômica e medicina veterinária da Universidade Paranaense (Unipar) capricharam.

São responsáveis pelo bloco que congrega animais taxidermizados, animais de pequeno porte vivos, projeto Unileite, plataforma multidisciplinar 3D e muito mais.

Além de aguçar a curiosidade das crianças com o insetário, mandíbula equina e órgãos de animais embalsamados, acadêmicos dos cursos de agronomia e medicina veterinária da UEM tecem explicações sobre diversas plantas e apresentam novidades e curiosidades, como a solução antifúngica para unhas.

As universidades aproveitam a expressiva visitação para divulgar a estrutura e préstimos de seus hospitais veterinários, como a castração de cães e gatos, disponibilizada a preços acessíveis.

A Emater, por sua vez, divulga os benefícios da energia fotovoltáica aplicada à agropecuária.

Cadáver sintético


No mesmo bloco em que estão os atrativos da Unipar, chama a atenção o cadáver sintético de um cachorro. O produto foi desenvolvido pela Csanmek Tecnologia em polímero a base de sódio e água. O boneco tem textura e densidade similares às estruturas anatômicas reais, abrangendo todos os sistemas e órgãos do corpo canino.

Com ele, alunos de medicina veterinária podem realizar cirurgias, dissecações, entubações e diversos outros procedimentos veterinários.

O sistema vascular possui uma bomba controlada eletronicamente que simula os batimentos cardíacos do animal. O microprocessador que controla a frequência dos batimentos pode ser acionado e modificado via Wi-Fi a partir de um aplicativo no tablet. Parece tão real que o cachorro até sangra durante os procedimentos.

Acompanhado de uma plataforma 3D de simulações de anatomia, o cachorro sintético chega ao Brasil a partir de R$ 200 mil. Os órgãos sintéticos podem ser substituídos e o material de estudo pode durar até 10 anos.

Horário

A Fazendinha vai funcionar todos os dias da feira – até 17 de março – das 10h às 22h. A ideia é integrar os estudantes da rede pública e privada de Umuarama, assim como da região, bem como propiciar uma imersão de conhecimento para o público geral.


Ingresso Online (current)