Seminário aborda rumos da bovinocultura de corte e tecnologia leiteira

A 45ª Expo Umuarama/18ª Internacional recebeu nesta terça-feira (12) as palestras do Seminário de Bovinocultura de Corte. Produtores de toda a região lotaram o anfiteatro Ademar Uliana para explanações  sobre recria lucrativa e novas tecnologias para aumento da lucratividade da pecuária leiteira.

O consultor Marcos Massao Higuti atentou para o ciclo favorável à produção leiteira, marcado por iniciativas governamentais e outros fatores, destacando aspectos que podem aprimorar o segmento, principalmente nas pequenas propriedades. 

"A cadeia é complexa. A estruturação da atividade passa necessariamente pelo assessoramento técnico e deve contar com planilhas de custo e rentabilidade", ressalta.

Recria 

Produzir carne com qualidade e sustentabilidade é e sempre foi a premissa de uma cadeia que, nos moldes atuais, tem a tecnologia como principal aliada. O zootecnista Rodrigo da Costa Gomes, da Embrapa Campo Grande, teceu apontamentos pertinentes sobre recria lucrativa. 

O objetivo da fase de recria é desenvolver o animal para que ele possa expressar o máximo do seu potencial genético, imprimindo conformação, estrutura e, consequentemente, ganho em peso no menor tempo possível.

O manejo nutricional é o principal influenciador na produção de bovinos de corte. Com a variação na quantidade e qualidade das forragens ao longo do ano, devido a sazonalidade climática, as estratégias de suplementação são a principal ferramenta para influenciar nos índices produtivos e econômicos da propriedade.

"É muito comum o uso de suplementação em pó. O emprego de suplemento aglomerado leva a menores perdas de elementos, importantíssimos no dia a dia do bovino", ilustrou.

"Alguns elementos se perdem mais no suplemento em pó. O manganês, por exemplo, apresenta diferenças de 40% no que é perdido pela chuva".

Mesmo após a palestra, Gomes tirou diversas dúvidas dos produtores.



Ingresso Online (current)